Resenha: As terras devastadas - A Torre Negra volume III, Stephen King






 
Ficha Técnica:
Título: A terras devastadas - A Torre Negra volume III
Autor: Stephen King
Editora: Suma das Letras
Ano de Lançamento: 2005
(originalmente publicado em 1991)
Gênero: Lit. Estrangeira / Ficção de terror e suspense
Páginas: 528
Preço Médio: R$54,90 




Depois dos acontecimentos do final de A escolha dos três, vimos que Roland salvou Jake da morte e isso alterou totalmente o espaço-tempo, para ambos.
Jake sente que falta alguma coisa, sempre está distante, enlouquecendo.
Roland não pode mais confiar em si mesmo. Está ficando maluco!
Depois de conseguir algumas pistas do que pode estar acontecendo, Jake parte em uma aventura que o levará de volta para a dimensão de Roland. Mas para atravessar o portal, situado em uma velha casa, ele precisará passar por um demônio que habita o recinto que quer a todo custo sua vida.
Alguém duvida de que Roland e seu grupo? Espero que não, pois ele consegue salvar Jake. E salva a si mesmo da loucura.

Há uma nova pista para encontrar a Torre Negra: um Feixe de Luz. Seguindo-o, no final do caminho eles a encontrarão. Porém, seguir o Feixe de Luz não promete ser uma tarefa fácil.
Roland, Suzannah, Eddie e Jake precisam atravessar a cidade devastada de Lud, que antes parecia ser um polo tecnológico e hoje está em frangalhos, infestada de perigos.
Dois grupos rivais dominam Lud, e um deles rapta Jake. Roland desta vez não pretende abandonar o menino, é dever dele protegê-lo, e é isso que ele faz. Numa corrida contra o tempo, o Pistoleiro precisa descer ao subsolo de Lud, enfrentando armadilhas e um belo tiroteio para salvar o garoto e voltar a tempo de seguir viagem com seus companheiros de ka-tet. Viagem esta que promete!

O responsável pela viagem, pela travessia de Lud até Topeka, é o monotrilho Blaine, a inteligência artificial que controla a cidade destruída e que por acaso, está enlouquecendo. Estar sob o poder de uma máquina prestes a ter um colapso psicológico ( se que é isso pode existir, rsrs ) não parece ser nada bom... Blaine tem um humor que varia de altos a baixos e é assustador, ( Além de chato, como o próprio Jake descreve ). Mas ele não faria uma viagem destas de graça, faria? Não. E o pagamento por ela será adivinhações. É isso aí, Blaine adora adivinhações, mas as perguntas propostas pelo ka-tet do Pistoleiro serão boas o suficiente para ele?

Você só irá saber se ler o livro... e a série toda! Haha

Stephen King é um mestre da escrita. Não consigo não gostar das histórias que ele cria, cheias de referências, críticas e tudo o mais! Vale a pena acompanhar esta história fodástica. ( Estou curiosa pra saber o final... Mas ainda faltam 4 livros =/ )

Pontos positivos: A genialidade de King não deixa nada a desejar. Gosto das recriação do espaço-tempo que ele faz, das referências que usa, de tudo... Haha ( sou fã! )

Pontos negativos: Vamos confessar, o Blaine é chato. Extremamente chato. Obviamente o personagem foi criado para passar esta ideia, mas não deixa de ser um tanto maçante os diálogos entre ele e os demais personagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário