Resenha : A Lista Negra de Jennifer Brown + Promoção, por Thais Maia



Ficha Técnica:
Título: A Lista Negra
Autor: Jennifer Brown
Editora: Gutenberg
Ano de Lançamento: 2012
Gênero: Literatura Estrangeira/YA
Páginas: 272
Preço Médio: R$27,90
Nota: 5 ♥


[...]E foi assim que começou a famosa Lista Negra: como uma piada. Uma forma de descarregar a frustração. No entanto, ela acabou se transformando em algo que eu nem imaginava[...]





Como prometido, cá estou eu novamente. No post passado (Link aqui) expliquei um pouquinho do meu sumiço. Por isso dêem uma olhada lá, ok? 

Bom, já faz exatamente uma hora que estou tentando achar a melhor forma de começar essa resenha. Acredito que nada do que eu disser irá fazer jus a essa obra. A única coisa que rego à vocês é: Leiam esse livro! Por favor. 

Antes de começar a falar mais precisamente sobre a história, preciso contar para vocês um pouquinho mais sobre minha relação com esse livro. A pelo menos dois anos, ele estava na minha meta de leitura, durante duas vezes cheguei até a começar a leitura, mas por algum motivo deixei de lado, esse mesmo episódio aconteceu com “Proibido” que se tornou também um dos meus livros favoritos da vida. Por isso, hoje tenho certeza de que certas leituras devem ser feitas realmente no momento certo. Gosto de livros que mexam comigo, que me façam refletir, que me tirem da minha zona de conforto, principalmente das crenças. Gosto de narrativas que me fazem questionar meus parâmetros de julgamento. Proibido fez isso, e A Lista Negra também. 


Durante quase toda leitura me peguei pensando quão duro somos com as pessoas em determinas situações. Sabe aquela famosa frase de efeito que todos gostamos de falar? Sobre não julgar as pessoas antes de saber mais sobre elas? Pois bem, nesse livro nos debáramos diversas vezes com situações desse âmbito. É fácil falar em perdão, em altruísmo quando também não estamos machucados. Vemos claramente que algumas pessoas estão tão cegas com sua própria dor, que não conseguem simplesmente ter compaixão pelo outro, e quem pode culpa-las, não? A discussão que esse livro aborda é tão extensa que eu poderia ficar falando sobre minhas impressões até amanhã. Mas vou tentar ser rápida, prometo. 

Valerie e seu namorado Nick são os renegados da turma, os estranhos, menos populares etc..etc. Na realidade eles nem se incomodam com isso, seria simples se eles fossem apenas deixados de lado por seus colegas de turma, mas sabemos que isso não acontece realmente não é? Quais são as chances dos diferentões do ensino médio serem deixados de lado? Após sofrer uma sequência de humilhações Val decide criar uma lista, intitulada de a Lista Negra, onde ela escreve o nome daqueles de praticam bullying com ela, de seus pais, e de todas as pessoas que à fazem se sentir mal e diminuída. Mais tarde ela vem a compartilhar essa lista com Nick, e os dois passam então a dividi-la. 

[...]Em um dia péssimo para mim, tudo o que eu queria era devolver o mal para cada um daqueles que estavam estragando o meu dia. Então, tive a ideia de escrever seus nomes em um caderno, como se aquele caderno fosse uma espécie de boneco de vodu ou coisa parecida. Acho que sentia que anotar seus nomes no caderno provava que eram imbecis e que eu era a vitima.[...] 

O que acontece é que com o passar dos meses, as ofensas foram ficando cada vez mais frequentes, em contra partida Nick foi se afastando cada vez mais de Val. Até que em um dia fatídico ele leva uma arma para a escola, e começa a atirar nos colegas, mas principalmente nos integrantes da Lista Negra, durante a confusão acaba acertando Val e termina por se matar. 

O livro tem início alguns meses depois do massacre, Val está retornando à escola, os capítulos vão se dividindo entre o presente e o passado. Entendemos um pouco da relação que ela tinha com Nick, e como era sua vida antes de tudo acontecer. Por várias vezes a história nos leva ao ponto de refletir, até que ponto somos realmente inocentes em nossas ações, até que ponto podemos apontar os erros dos outros, até que ponto temos esse direito... em determinados momentos me peguei pensando sobre o próprio assassino, o Nick. Talvez seja porque o livro é narrado em primeira pessoa, e acabamos por nos envolver demais com os anseios da personagem, ela se encontra tão perdida, tudo que ele tinha como certo em sua vida caiu por terra, ela não sabe mais sua identidade, e isso é uma coisa dolorosa de se ler. 

[...]Sabemos que podemos mudar a realidade. É difícil, e a maioria das pessoas nem tenta fazer isso, mas é possível. Você pode mudar a realidade do ódio ao se abrir para uma amiga. Ao salvar uma inimiga. (…) Contudo, é preciso ter vontade de ouvir e de aprender para mudar a realidade. Principalmente ouvir. Ouvir de verdade.[...] 

Sobre os personagens, eles me cativaram de uma maneira pouco convencional, durante diversos momentos tive vontade de entrar na história só para ter a chance de gritar com todos, principalmente com os pais da Valerie, poder abraça-la, e dizer que tudo iria ficar bem, mesmo eu mesma duvidando disso. Em outros momentos me peguei pensando se eu mesma, não teria a mesma atitude que muitos deles. 

[...]De certa forma, Nick estava certo: às vezes, todos temos de ser vencedores. Mas o que ele não entendeu foi que todos temos também de ser perdedores. Porque não se consegue uma coisa sem a outra.[...] 

Concluindo, acredito que mesmo a leitura sendo tensa em muitos momentos, a autora soube exatamente como dosar a mão. Para não ficar muito dramático aos olhos dos leitores mais jovens, afinal não podemos esquecer que estamos falando de um livro Y.A vulgo Jovem Adulto, não se trata de uma narrativa a lá Nicholas Sparks (juro que isso não é uma alfinetada) Mas claro, que levando em consideração tudo o que ocorreu é impossível fazer uma narrativa com flores e corações. Agora, se eu acho que vale a pena a leitura? É CLARO QUE VALE, pensando nisso quero sortear um exemplar para vocês. Não quero ninguém inventando desculpas para não lê-lo em. Para agilizar o processo pretendo enviar o exemplar direto pelo site da Amazon, assim eu posso saber a opinião de vocês mais rapido ainda ahahah.

Para participar é só seguir os critérios a baixo:


Regras Gerais:
  • Ter endereço de entrega no Brasil.
  • Cumprir todas as entradas obrigatórias.
  • O período de inscrições vai até o dia 26 de Outubro.
  • Os ganhadores deverão responder o e-mail de contato em até 48 horas, ou o sorteio será refeito.
  • O envio do prêmio será realizado em até 30 dias úteis.
  • Perfis fakes ou de promoção no twitter serão desclassificados;
  • Perfis do facebook restritos impossibilitam de conferir se o participante curte ou não as páginas, então também serão desclassificados;
  • O resultado do sorteio estará disponível no dia 27/11

a Rafflecopter giveaway

10 comentários:

  1. Já peguei esse livro para ler diversas vezes, mas ainda não chegou o momento certo para essa leitura. Acho que é um daqueles livros no qual ou o personagem cativa o leitor e leva a uma reflexao maior mesmo sendo complexos

    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir
  2. Olá =)
    Eu tinha interesse de ler esse livro mais perdi. Agora vendo sua resenha me despertou um pouquinho de curiosidade. Que bom que a autora sobre dosa o livro na medida certo. Que bom que você gostou da leitura. Beijos'

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Quantos sentimentos lhe despertou a leitura!
    Fiquei curiosa. Por isso já anotei,
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. A autora realmente conseguiu deixar a leitura um pouco "leve", mas ao mesmo tempo que causasse impacto. Foi uma das melhores leituras que eu já fiz. Eu amei muito a trama, fiquei tocada com tudo o que aconteceu. Eu li em um dia o livro, e fiquei muito afim de reler de novo. Adorei sua resenha.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Ainda não li esse livro, mas tenho curiosidade, pois a temática é muito interessante. É engraçado que refletimos sobre como somos duros com alguma pessoa quando vemos algo assim. Muito legal saber que a autora dosou bem as coisas nessa obra.
    Claro que vou anotar a dica e participar do sorteio.
    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  6. Caramba, comecei a ler sua resenha sem qualquer expectativa sobre o livro e estou mega surpresa! A história parece algo bem forte, afinal, quem sofre ou já sofreu bullying sabe o quanto é difícil lhe da com algumas das ofensas. A tragédia do livro parece ser bem intrigante e estou realmente muito curiosa, já vou colocar na listinha de Natal hahaha.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  7. Heey, tudo bem? Resenha maravilhosa! Adorei saber sua opinião sobre esse livro tão elogiado. Quero muuuito ler A Lista Negra. Parece ser bem forte, e muito emocionante. Espero ter a oportunidade. Estou participando do sorteio <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Fiquei encantada com esse livro! Ainda não conhecia, mas se tratando desses assuntos em um YA é totalmente diferente do que estamos acostumados. Adorei a sua resenha e toda a maneira que abordou a história do livro e é claro que estou participando.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olá ♥
    A premissa desse livro realmente é interessante. O livro parece ter uma carga emocional que vai nos fazer repensar alguns pontos. Já vi muitas resenhas desse livro e realmente a cada resenha que leio minha vontade só cresce. Vendo você tecer elogios a obra fica até difícil não desejar.

    ResponderExcluir
  10. Algo que você falou me tocou sobre não julgar as pessoas! De fato tens razão. Durante minha vida escolar sempre fui a "renegada" assim como Valerie e o seu namorado. O que me dá medo de é isso! Essa questão de ser renegadi é tão forte quanto... Parabés pela resenha, esse livro é tocante.

    Amanda Melo

    ResponderExcluir